segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Misterioso

11 comentários:

  1. Ensinaram-me que não se deve conversar com estranhos... imagina se você é um serial killer. Mas vou admitir, pago para rir. Tenho fascinação pela tal da alegria e você me diverte. Quem dera eu tivesse tanta criatividade...

    P.S.: fica fácil para a gata já que ela mora em local ermo e desconhecido.

    ResponderExcluir
  2. Voltei.

    Você compra emoções, eu estou doando as minhas desde maio, quando criei os Blogs.

    Percebi agora, eu também compro, mas compro alegrias (leia acima: "pago para rir"). Por isso cismei aqui, neste endereço. Isso mostra que não sou muito inteligente porque você me disse que está péssimo, carregando tristezas.

    E isso mostra que, no meu entender e perceber, temos agora três coisas em comum (1.leitura compulsiva - 2.brincadeiras). A 3a: compras.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Feliz!!!Feliz por vocês dois!!!

    ResponderExcluir
  4. Lily
    Você não esta doando suas emoções.
    Você esta vendendo elas para mim.
    E eu estou pagando direitinho.
    Fazendo você sorrir, seus olhos brilharem e seu dia ser um pouco mais alegre.
    Quanto a eu estar péssimo, é porque a perda de meus pais ainda é recente, toda vez que toco nesse assunto, fico com lágrimas nos olhos, como agora.
    Mais um motivo para mim postar para você e a para a Bia, porque me faz bem para o coração e para a alma.
    Lendo Suzana, entendo o porque você esta doando as sua emoções.
    Como disse sábiamente a Bia, escrever e manter um blog é uma terapia.
    Depois de tantas baladas e aventuras, hoje prefiro ficar no meu canto postando e me distraindo, e porque não dizer: sendo um pouco mais feliz! Só tenho que agradecer a você e a BIa! obrigado

    em tempo: eu não sou um serial Killer !

    ResponderExcluir
  5. 1.Senti tristeza...
    2.Sempre tive medo de contatos via Internet, por isso escrevi meio brincando, meio falando verdade.
    3. Você não está me pagando pelas minhas emoções. Não entendo assim. Elas estão lá para todo mundo. Não é terapia para mim, nunca foi. Meu passado é algo resolvido. Escrevo para fazer exorcismo de mim mesma. Há um texto em que eu falo sobre isso, não me lembro qual... depois vou lá para procurar.
    4. Não me acanho de dizer "você me faz feliz", "visito sua página sempre", "gosto dos seus presentes". Eu sou assim, bem direta, apesar dos momentos de brincadeira...
    5.Sinto muito pela sua perda. Não há palavras que consolem ou confortem. Nada que eu escrever vai adiantar. Se quiser desabafar sobre isso, pode enviar um e-mail para mim. Sou boa ouvinte, aprendi com a minha mãe. Desabafo é rua de mão única.
    5. Ainda bem que você tirou a "lama", ficou estranho... depois entendi "barro".
    6. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. O texto é BAÚ INTERNO (1 de junho/ O MEDO DE SUZANA).

    Vou agora desligar o pc. Preciso fazer repouso e tentar dormir.

    Beijos!

    P.S.: gosto de pessoas que sabem que amizade é avenida grande, com várias pistas e mão dupla. Eu escrevo "vai lá ler" e você vai. Acho isso muito lindo!

    ResponderExcluir
  7. Eu disse que pago para rir, para ter alegrias. Porém... não tenho como pagar as que você me dá. Te conheço há 7 dias apenas. Talvez um dia eu consiga escrever um texto dedicado a você. Mas é sempre preciso o mote, a hora, o tcham... e tenho que esperar. Só assim, pois você realmente me encanta.

    Que ótimo que você foi à minha casa me visitar, na segunda-feira passada.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Suzana querida,
    Uma coisa te digo:O Ratto existe , é de verdade, de carne e osso e não mata não....e precisa mesmo é de um grande amor...quem sabe...rs!

    beijos sua linda!

    Biazinha

    ResponderExcluir
  9. Bia,

    Eu já fui assim, feito você, casamenteira... a própria Santo Antonio na Terra. Nem sei a razão de ter parado... não sei mesmo (vou pensar sobre isso!).

    Eu não posso arrumar um amor para ele. Mas posso ser um amor de alma na vida dele, já que ele vem devagarzinho, sem alarde... Tive problemas nesta blogosfera já, e mal entrei...rs. As pessoas precisam entender que, quando se fala de corpos, de carne, na maioria das vezes é tudo muito rápido e, às vezes, às mostras, escancarado. Quando se fala de almas, é tudo extremamente diferente. Uma alma que ama a outra, não assusta, não grita, não compromete a outra, deixa-a livre. Tenho muito medo disso, da confusão que algumas pessoas já viveram comigo aqui neste mundo virtual. E o pior é que sei que, no final de tudo, eu fico como a feiosa da história. Bom, na minha vida real, eu sempre fiquei como a feiosa da história, mas aqui, eu dei um jeito, dei nó em pingo d'água, joguei um pôquer daqueles, mas enfim me saí bem.

    Não é o caso aqui. Só estou contando esse fato porque eu mal acabei de sair da situação. E, nesse caso em questão, eu me senti usada. Não gosto de ser usada sem a minha devida permissão. No caso do seu querido rattinho, ele não está e nem precisa me usar, e nem quer. Na outra história, a minha imagem foi usada, manipulada e eu não gostei nem um pouco.

    Para ser franca, eu só entrei na casa do rattinho com tanta liberdade porque sabia que você o conhecia pessoalmente. Ele é todo misterioso, dá poucas informações na página (sei que qualquer um pode inventar tudo, mas eu sei o que é sólido e sei o que é miragem), por isso, eu provavelmente não entraria tanto nessa casa.

    Pra você, Ratto:

    Eu não quero informação extra nenhuma ao escrever isso. Sei que todo homem pensa assim, "se ela está dizendo que está com sede é porque deve estar querendo um copo de água." Os homens sabem que as mulheres têm problema para pedir de forma direta. Eu devo ter sido assim, nem me lembro mais, mas não sou. Quando eu quero água, eu grito bem alto: "pega um copo d'água para mim, por favor!".

    Comentário abusado de longo esse. Já perdi até os modos.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Nossa! Eu ia dar um ataque histérico aqui. Assim que mandei postar, deu problema no site. Se eu tivesse que escrever tudo novamente...

    Mas foi.

    P.S.: volto mais tarde.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir