segunda-feira, 13 de setembro de 2010

um conto

SINOPSE


A estória de um sujeito que tinha predicado.
um adjetivo simples, que na realidade era composto.

Grandes personagens como Huaiss e Aurélio, que disputam o amor da bela Michaellis.
A estória da amada Gramática que tinha um pretérito mais que perfeito, onde o sexo é o verbo mais conjugado,
tem também o "sujeito oculto", 
figuras  semânticas, como comparação, ironia e metáfora, 
recheada de onomatopéias.
sem falar da poderosa Vírgula que pode mudar o destino e o rumo da estória: 


Uma trama que só termina no ponto final.

                                                                                                                  Alex Ratto
                                                                                                       editora improviso

7 comentários:

  1. Alex,

    Confesso: gostei muito! Ótimo.

    Eu gostei também do cursinho intensivo com aquele físico maluquete, mas não quis comentar, não gosto de matemática e física. Porém, gosto da Língua Portuguesa. Adorei! Você é um cara inteligente e perspicaz. Ah!, e irônico. Ah!, educado. Esqueci do mais importante, educado.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Muito gentil da sua parte.
    Fiquei feliz em saber que você gostou.
    É uma brincadeira, é a sinopse de um livro chamado "palavras" cuja capa ilustra este post.
    Mas é só de brincadeira, não nasci para ser escritor, não tenho esse Dom como você.
    Eu sabia que você iria gostar, porque você é a dona das palavras, escreve com um sabor especial,
    já disse e repito : você escreve muito ! chega a ser um absurdo!
    beijos

    Ah, em tempo: estava com saudades de você!

    ResponderExcluir
  3. Gosto mais quando conjugado no gerúndio tipo sexuando, ou te amando, nãoé tão pretérito, em tão presente, não tem tantas virgulas, onomatopéias ou metáforas, e mais poesia, mais vida, porque o amor é sempre te amando e o sexo e sempre asexuando.
    os pontos e os paraáfos deixo para quem não tenha amors no gerúndio ou se do mesmo tempo, e assim com tanto tempo vago vão descortinando os erros gramaticais enquanto eu estou amando a bela Michaelis que, neste caso seria (Ana Maielis).

    Mais uma vez estupendo texto.
    Abraço deste que se tornou teu caro no espaço que o tempo se diz pouco, mas que viu em ti amor e gente de arte, metaforas aparte e outros senão...

    ResponderExcluir
  4. Alex,

    Passei para dizer olá!

    Que bom que tenha gostado do texto do Rafa Feck. Eu nunca escrevi um texto tão rico em toda a minha vida. Parece uma bebida boa, daquelas que desce num gole só. E, forte!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Realmente eu gostei muito.Ele escreve uma barbaridade, mas você não fica atrás.
    Realmente, é surpreendente o seu blog.

    Vou postar para você, em 3 partes, a história do Príncipe Sidarta Gualtama.

    Espero que você goste, É Zen total.

    beijos e paz para você.

    ResponderExcluir
  6. Obrigada!

    Só que saí à francesa... leu o recado que deixei?

    Não pretendo vir ao Blogger.com enquanto isso.

    Volto em breve, assim que organizar corpo e espírito. Assim que melhorar das macacuas (nem sei se essa palavra existe).

    A gente pode se falar por e-mail, estarei on line pelo menos uma vez ao dia.

    Beijos!

    ResponderExcluir